Solidariedade ao Brasil: apoie os movimentos na linha de frente contra a  COVID-19

Neste momento tão crítico para o Brasil, a  esperança vive nos movimentos sociais na

linha de frente no combate à pandemia.

Esta campanha foi criada justamente para contribuir com a luta dos movimentos indígena, quilombola, de comunidades tradicionais e das periferias.

Podemos estar longe do Brasil, mas nosso coração mora perto. Não nos calaremos

enquanto tudo aquilo no que acreditamos vai sendo destruído pelo governo Bolsonaro. A democracia, os direitos sociais, os serviços básicos, a dignidade. E fundamentalmente, as vidas. Comunidades e populações inteiras já marginalizadas e completamente abandonadas pelo Estado se tornaram as principais vítimas da Covid-19. A pandemia trouxe à tona toda a

incompetência do governo Bolsonaro, assim como, a sua face mais perversa e

genocida.

Por tudo isso, nós, brasileiros e brasileiras no exterior lançamos essa campanha em

solidariedade aos movimentos sociais no Brasil, às comunidades indígenas, quilombos,

das periferias e do campo, aqueles que resistem bravamente há séculos e que nos

inspiram a continuar lutando.

Convocamos pessoas de todo o mundo, de todas as nacionalidades, línguas e culturas,

a unirem-se a nós e criar uma forte aliança. Não se trata somente de uma doação, mas

um gesto de solidariedade às lideranças populares brasileiras. Elas podem ter sido

abandonadas pelo governo brasileiro, mas não por pessoas como nós, escandalizadas

pelas atrocidades do governo Bolsonaro.

Participe e divulgue essa campanha. Cada doação demonstra que o mundo está de

olho e as comunidades na linha de frente contra a COVID-19 não estão sós.

Para onde vai o dinheiro?

 

Todo o dinheiro arrecadado (menos as taxas) será repassados para as comunidades

impactadas pela COVID-19 que fazem parte dos seguintes grupos: indígenas,

quilombolas, povos tradicionais e comunidades urbanas periféricas.

A seleção das comunidades beneficiadas pelos recursos será definido pelas entidades

representativas de cada grupo:

- Movimento indígena: Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB)

- Movimento quilombola: Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades

Negras Rurais Quilombolas (CONAQ)

- Povos Tradicionais: Rede de Povos e Comunidades Tradicionais do Brasil

- Movimentos Urbanos: 1) Sociedade do Bem Viver, 2) Uneafro, 3) Movimento dos

Trabalhadores Sem Teto (MTST) e 4) Periferia Viva.

Com o objetivo de fortalecer comunidades na linha de frente, escolhemos como critério

de seleção que todas as organizações beneficiadas sejam movimentos de base,

geridos e administrados por lideranças comunitárias.

Quanto vale uma doação de $30 em cada moeda (cotação estimada):

- CAD$ 30 = R$ 118

- EURO$ 30 = R$ 181

- USD$ 30 = R$ 160

Nossa meta será arrecadar CAD$ 50 mil, aproximadamente R$200 mil. Cada entidade

receberá R$50 mil, e para movimentos urbanos dividiremos o valor por 4. Esperamos

ultrapassar essa meta para redirecionar ainda mais recursos para as organizações

beneficiadas.

Quem somos:

Nós somos coletivos de brasileiros e brasileiras no exterior atuando pela democracia,

justiça e direitos sociais, e contra o governo Bolsonaro. Coletivos organizadores da

campanha: Coletivo Brasil-Montréal (Montreal - Canadá), Coletivo Brasil-Québec

(Quebec - Canadá), FIBRA (Frente Internacional de Brasileiros Contra o Golpe),

Coletivo por um Brasil Democrático (Los Angeles - EUA), Resiste Toronto (Toronto -

Canada), Coletivo Taoca (Zurique - Suíça), Coletivo GRITO (Genebra - Suíça).